Logo Hpari
Tel: 55 11 3322-6500
Dicas
Orientação de Curativo

A PELE: 

A pele é um órgão que envolve o corpo, e é um dos maiores, atingindo cerca de 16% do peso corporal. Ela faz parte do sistema tegumentar, exerce diversas funções e sem ela a sobrevivência seria impossível.
A pele possui diversas funções, tais como: excretora, protetora, de relação, termorreguladora e metabólica.
A função excretora é representada por secreções sebáceas e sudoríparas que tem o objetivo de excretar as toxinas e os resíduos do metabolismo. É por meio do suor que a pele excreta tais substâncias, uma vez que a maior parte do suor contém água e é nele que são eliminados sais minerais, ureia, ácido úrico e o colesterol.
A função protetora tem o objetivo de proteger o organismo do ser humano contra a penetração de substâncias indesejadas, onde a camada córnea forma uma barreira que neutraliza os ácidos e impede que a epiderme (camada mais superficial da pele) absorva substâncias irritantes. Além disso, protege os órgãos internos contra traumatismos, por conta da textura e composição da pele, uma vez que esta é bastante resistente, densa, elástica, onde ela é capaz de permitir que a água penetre lentamente por meio da epiderme, evitando assim, a desidratação.
Além desses fatores, há um que é de extrema importância, a proteção contra as radiações solares, ou seja, contra os raios ultravioletas. Este procedimento se dá, pois a camada córnea tem uma barreira contra as agressões químicas e também, uma proteção natural contra estes tipos de raios.
A função de relação, onde as estimulações nervosas admitem captar o que você sente no ambiente em que está inserido, de imediato. Essa captação de sensações são dores, tato, pressão, entre outras e é dada a partir de receptores sensoriais que são transmitidos ao sistema nervoso central, fazendo com que você sinta e perceba a sensação do momento.
A função termorreguladora permite estabilizar a temperatura do corpo, ou seja, assegura a luta contra o calor ou contra o frio.
Na função metabólica, têm-se duas características: a síntese de vitamina D, uma vez que tal vitamina é muito importante para que a absorção de cálcio seja feita por meio da alimentação. E o reservatório energético, onde a hipoderme tem a principal reserva de energia do organismo.

FERIDA CIRÚRGICA
É uma ferida resultante de uma intervenção cirúrgica. É quando as bordas saudáveis da pele são aproximadas e suturadas.

 

FATORES QUE AFETAM A CICATRIZAÇÃO

Idade: No idoso, à medida que se envelhece, a pele fica mais fina e menos elástica e a população das células que reparam os tecidos e combatem a infecção diminuem. Este fator resulta numa cicatrização mais lenta, com risco de má evolução da ferida operatória.

Nutrição: Deficiência nutricional. Contudo, é importante seguir a orientação nutricional que lhe foi fornecida durante a sua internação.

Saúde Geral: Infecção ou doenças preexistentes, bem como Diabetes Mellitus (DM), doença arterial, hipertensão e vasculopatia periférica, retardam ou complicam a cicatrização. Estas doenças impedem que o fluxo sanguíneo chegue ao local da incisão.

Oxigenação: Falta de oxigenação. Tal fato impede que o organismo produza colágeno e cicatrize a incisão cirúrgica.

FATORES QUE COMPLICAM A FERIDA CIRÚRGICA

Infecção: Deve-se observar o aspecto da lesão, buscando sinais de infecção, tais como: coloração avermelhada, endurecimento, drenagem de secreções, edema, calor e dor exagerada no local da incisão. A presença de febre é um sinal de infecção.

Hemorragia: Poderá ocorrer hemorragia decorrente de lesão dos vasos sanguíneos. Podem ser internas e externas, dependendo da região afetada.
Hemorragias internas normalmente necessitam de cuidados emergenciais, pois o volume do sangramento é grande. Nas hemorragias externas, deve-se fazer compressão local até a chegada ao hospital.

Deiscência e Evisceração: A deiscência é quando os pontos da ferida operatória se rompem. Quando este rompimento ocorre na totalidade da sutura, poderá ocorrer evisceração. A evisceração é caracterizada como projeção das vísceras para fora da cavidade, sendo mais comum em cirurgias de abdome.

Caso alguns dos sinais e sintomas citados acima aparecerem, retorne ao serviço de saúde e procure o médico imediatamente.

COMO REALIZAR O CURATIVO?

Lave as mãos com água e sabão;
Calce as luvas de procedimento ou estéril, dependendo da indicação da equipe de enfermagem. OBS: Lembre-se da técnica de calçar as luvas estéreis.
Retire o curativo anterior do local da ferida com cuidado, pois pode estar grudado e isso causará dor;
Lave o local da cirurgia com água e sabão neutro ou utilize soro fisiológico 0,9%, caso tenha em casa;
Seque bem o local e ao redor da ferida com gaze estéril;
Cubra a ferida com gaze estéril e fixe-a com micropore;
ATENÇÃO: Cuidado para não colocar o micropore sobre a ferida, pois causará dor ao retirar.
Pronto, seu curativo foi realizado com sucesso.
ATENÇÃO: O curativo deve ser realizado 1 vez ao dia, após o banho ou quando houver secreção na ferida, para que não cause infecção.

CUIDADOS COM A FERIDA

Use roupas confortáveis para que não aja pressão ou fricção sobre o local;
A retirada de pontos poderá ser feita pelo médico assistente ou em um serviço de saúde de acordo com a orientação recebida.
Seguir a orientação sobre como realizar o seu curativo.

Dicas

Hospital do Pari - contato@hpari.com.br - Tel: 55 11 3322-6500